segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Lembranças...


Aproveitando a noite chuvosa do dia 26/12, continuei a tarefa de "destralhar" meu armário e tentar jogar fora o máximo de trecos possíveis.

Nada demais, até achar uma pasta antiga, velha e empoeirada e abrir para ver que "lixo tem ali"... Para a minha surpresa, o lixo não era lixo, era um tesouro, verdadeiros fragmentos de uma vida... Minha vida...

Não deu outra: sentei no sofá e comecei a ler... Cara! Foi emocionante... Confesso que fiquei meio sem-graça, por não lembrar de todos os nomes que estavam ali na minha frente... E pelo o que li, eu tinha a obrigação de lembrar...

Nessa releitura do passado, vi que eu era exatamente como sou hoje e continuo o mesmo de antes. A diferença é que agora eu sei por quê... Em todas as cartas que li, sempre um mesmo pedido e parece que foi até combinado antes: Não mudar. Palavra estranha, talvez a mais difícil do meu dicionário pessoal e, certamente, mais complicado do que entender o pensamento feminino...

O legal é que senti vida e emoção, lendo cartas amareladas e rasgadas pelo tempo, emoções que e-mails e torpedos não transmitem hoje em dia... Antiquado ? Talvez... Mas minha geração cresceu sem computador, celular, internet... Apesar que essas opções não lhe faz espirrar, né? :-)
Após ler as cartas de manifestações de carinho e agradecimento, percebi que até hoje continuo o mesmo:

1 - desligado com o que acontece a minha volta – Achei uma carta de uma menina reclamando porque eu não percebia que ela gostava de mim; (tóim)

2 - respeitava todos, inclusive os mais velhos. Alguns me chamavam de milico por causa disso;

3 - Relembrei apelidos esquecidos pelo tempo como Any Lega meu ( era assim que um "amigo" de 4 anos de idade me chamava quando me encontrava na portaria ou no corredor. A tradução da mãe dele seria o seguinte: “ Ali colega meu" , dentre outros;

4 - percebi que sempre tive muito mais amigas do que amigos - pelo visto sempre será assim...;

5 - constatei que eu era considerado por alguns, mais irmão, do que os próprios irmãos das amigas(os);

5 - sempre tive dificuldades de expressar sentimentos;

6 - a timidez continua a mesma: não aumentou nem diminuiu...

Achei tb uma prova "macabra" de programação em Turbo Pascal... Apenas uma pergunta valendo 10, respondida em mais de 10 folhas frente e verso. E o carrasco que aplicou essa prova, o João Marcos, é meu amigo até hoje... Inclusive, a fase IBPI merece um post.

Na verdade, minha pasta vai além dela mesma, pois também guardo fitas que mixei e gravei no CrazyPirateStudios (com produção e seleção de Ivan Ferreira, com direito a capinha incrementada feita no MSX e impressa na impressora matricial Epson LX-80... Eu gravava essas fitas, sempre que a turma inventava um Hi-Fi (festinha que os amigos marcavam de vez em quando) E eu, era o DJ, mandando nos vinis e nas fitas K7. Era o melhor lugar da festa, ainda mais para um tímido...

Como disse antes, ouvir as fitas ou ler as cartas é viajar no tempo, reviver épocas, locais e amores. E lembrar dos LPs, dos equipamento de som, banda...

Cartas que escrevi, agendas em que anotei e me confidenciei amores adolescentes.

Tudo ainda guardado.

Mas talvez, o maior presente seja que de algumas das anotações e cartas recebidas, as pessoas que as escreveram pra mim ainda são amigos meus.

E esse é o maior presente. Pessoas que saíram do Brasil ou mudaram de Estado, estão pelo Estados Unidos, Europa, Sampa, Manaus, MG, milhares ou centenas de KM de distância e a amizade e o carinho presentes.

Isto, sem dúvida, é a materialização daquele desejo adolescente, que a gente sente ao término do 2o. grau, quando vê cada um da sua turma seguir caminhos diferentes e não quer perder contato.

Essa sem dúvida é uma grande realização e felicidade de minha vida, de não ter perdido o contato com muitos e, mais que isso, que até hoje faça sentido reunir a todos os amigos para um brinde e chamá-los de turma, um substantivo coletivo que significa carinho, senso comum, amizade, unidade e companheirismo. Seja no Pinto Lima, Raul Vidal, Cejota, Prolem, Universo, UFF, Casi16, Condor Filmes, HJM, Petrobras, GSR, Giovanni, IBPI, etc...

Para eternizar tudo isso, ainda vou criar coragem e pedir para a minha amiga Érika para scanear para mim, aos poucos, e vou guardar os originais numa pasta, como todo o cuidado e carinho que elas (as cartas) merecem...

Agradeço a Deus por aquela noite, ele conseguiu transformar a noite chuvosa numa das mais legais da minha vida... E eu que havia reclamado com ele, momentos antes, achando o dia chato...

Essa foi a forma de extravasar as emoções, já que a hora não me permitia ligar para ninguém e não havia mais ninguém na minha casa...

E você? Ainda tem guardadas as suas cartas? Aproveite um dia para reler... Muito bom... Lembranças boas? Ruins? Não as jogue fora... São suas! É a sua vida que está ali ! pelo menos uma parte dela...


"Um homem sem lembranças é um homem perdido." (Armand Salacrou)

"Chega uma época em que nos damos conta de que tudo o que fazemos se transformará em lembrança um dia. É a maturidade. Para alcançá-la, é preciso justamente já ter lembranças." (Cesare Pavese)

10 comentários:

  1. Bom, talvez eu não tenha contato com muitos amigos(as), namorados da época de colégio, faculdades, cursos. Mas com certeza muitas lembranças eu tenho. E é realmente como você descreveu Ivan, que me sinto... Revivendo o passado. Relembrando coisas boas e ruins (desta vez pensando no que não teria feito para não serem,hoje,tão ruins). Muitas fotos, cartas de amigas e possíveis admiradores tenho aos montes. Mas lamento por ter deixado minha timidez tomar conta, e hoje, são poucas as pessoas, dentre as milhares que conheci, que mantenho contato. Nossa, foram muitas mesmo. Mas Graças á Deus que essas lembranças nunca se apagarão da minha memória, sempre irão fazer parte da minha vida sim...
    Por mais que eu não saiba mais como estas pessoas estão... Eu sei que elas fizeram parte do meu passado, pois as guardo em minhas lembranças preciosas e jamais esquecidas por mim.
    Eu ainda paro pra reler as agendas, as cartas, ver as fotos...
    São lembranças que me fazem crer que pessoas entram e saem de nossas vidas e nos deixam uma parte dela. E é por isso que eu sei que elas também lembram de mim.
    Pois por mais que este mundo seja enorme, sempre estou encontrando alguém. Ou no supermercado, no shopping com seus supostos companheiros, filhos, sozinhos, muitas vezes até não me reconhecem, mas eu sim... Me lembro de cada um...
    E hoje estou aqui retratando que também tive um passado.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ivanzinho,

    Adorei os textos. Muito legais. É, .... meu Amigo além de promoter, fotógrafo, cantor, compositor é um excelente escritor. Tenho muito orgulha de ser sua Amiga.

    Parabéns!!!!!!!!!!!

    Bjs,

    Márcia

    ResponderExcluir
  3. meu caro, creio que vc esteja vivendo um momento especial: a sua casa, a sua mãezinha melhorando. Só gostaria de te ver com alguém que te visse como mais que um amigo.

    E para isso vc precisa ir além das suas virtudes, mas sem se desvirtuar, se é que vc me entende...

    Mudanças de postura são necessárias para conseguirmos galgar os degraus da vida.

    Conscientize-se disso, amadureça em alguns pontos.

    Seja mais atento ao seu entorno. Isso tudo te fará muito bem e te trará muitas recompensas.

    Mas nunca, nunca se desmereça ou se desvalorize.

    Apenas entenda que vc já tem toda a base e fundamento para ser ainda mais feliz e conquistar mais felicidade.

    Apenas seja um lutador. Seja mais aguerrido. Seja um guerreiro, mas num sentido melhor dessa palavra - sem ser leviano.

    E você verá:"It could happen to you".

    Parabéns !!!

    Dani

    ResponderExcluir
  4. O que escreveu foi profundo e verdadeiro, por isso vou reforçar continue assim, sensível, educado, amoroso, companheiro e amigo sempre.

    Que Deus te ilumine sempre no seu dia dia

    Beijosss

    Sua amiga Debb

    ResponderExcluir
  5. Ninguém escreve textos pra contar esse tipo de coisa. Só vc. E qdo acontece, vira uma surpresa.
    Vc merece o carinho q vc colhe pq vc planta! Cuide bem do seu arquivo pessoal! Bjs,

    ResponderExcluir
  6. Mto maneiro esse seu e-mail. Sei como é a sensação,
    pois já fiz esse tipo d "arrumação" algumas vzs na minha vida, e sei exatamente
    como é a sensação... mto boa! E, como vc, acabo guardando tdo, com pena d
    jogar fora essas maravilhosas lembranças (cartas, cartões, letras d músicas
    q fizeram pra mim, poemas tbm, declarações d amor e d amizade, etc...). É
    sempre gostoso relembrar. Bjs, AAO :-)

    ResponderExcluir
  7. Reinaldo M. de Freitas6 de janeiro de 2009 13:39

    Na estante da minha sala, no chão em meu quarto, existem muitos livros que versam sobre diversos assuntos, desde a história das religiões, passando pela teologia, a história antiga, a medieval, moderna e contemporânea, a hsitória da formação dos povos, a colonização do Brasil, o olhar antes desse momento, quando do achamento destas terras.
    Brasil historizado em todos os momentos, desde a dinastia de Avis em Portugal até a República recente.
    Estimulante montante de histórias que se fundem e não se confundem de modo algum, porque tudo é uma impressionante formação de sequências de acontecimentos para fazer o maravilhoso ser humano entender porque ele está neste esplêndido cenário.
    Mas entre todas estas coisas existe uma, muito simples, a minha pasta de coisas antigas, escritas ou desenhadas desde os primórdios da minha existência escolar.
    Guardados que me fazem pensar, como você caro Ivan, no Pinto Lima, no Raul Vidal, o Henrique Lage, o Curso Dom Bosco, o Maria Thereza, o Monsenhor Raeder, o Clube do Fluminensinho, a Fuscaldesa, o Niteroiense, o Seminário São José.
    Tudo isso e muito mais, e o envolvimento do meu ser na construção desta história que não é apenas minha, mas de uma multidão que está por trás de cada uma das linhas dos escritos desta pasta de guardados.
    Pensando e repensando, passando e repassando, perguntando e respondendo, reconhecendo ou repreendendo, procurando e achando... tudo vai fazendo com que eu avalie acertos e erros, falando comigo mesmo ou escrevendo mais um pouco.
    Depois de tudo isso e muito mais ainda que poderia escrever, simplesmente coloco Ivan, que é bom saber que não estou sozinho em ver que o passado ajudou a construir uma vida presente, que prepara a vivência de cada momento de um futuro próximo.
    Bençãos e beijos. Paz e Bem!

    ResponderExcluir
  8. Caramba viajei no seu texto, quanta coisa me lembrei, juro que quase chorei relembrando minha infância e todos aqueles que passaram por ela...
    Vc é uma pessoa especial e de um coração imenso, fico feliz de também fazer parte da sua caminhada e tenho orgulho de ter vc na minha.
    Bjusssssss
    Fernanda Guimarães

    ResponderExcluir
  9. NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSSSSSSSSSSSSSAAAA!!! ADOREI TUDO

    Estou impressionada de como vc escreve bem!! esses relatos são reais mesmo????Olha, parei pra refletir em tudo q disse , show de bola

    bjus, MFontes

    ResponderExcluir
  10. He, he, he Ivanzinho. Mto maneiro esse seu texto. Sei como é a sensação,
    pois já fiz esse tipo de "arrumação" algumas vzs na minha vida, e sei exatamente
    como é a sensação... mto boa! E, como vc, acabo guardando tdo, com pena de
    jogar fora essas maravilhosas lembranças (cartas, cartões, letras d músicas
    q fizeram pra mim, poemas tbm, declarações d amor e d amizade, etc...). É
    sempre gostoso relembrar. :-)
    Agora mudando d assunto, quero expressar aqui o meu "descontentamento" :-(
    em relação à sua pessoa... tsc, tsc...
    Vc me abandonou, snif, snif... Não convida mais para a Lapa
    (minha amiga já perguntou várias vzs), ignora minhas msgs, ñ escreve scrap
    pra mim (dos últimos seis ou sete scraps q mandei ñ recebi resposta alguma)
    Buááááá!!!! , pôôôô... seu feio, esqueceu d mim...
    Desse jeito fico d mal com vc menino.
    Bjuuuusss,
    sua miga

    ResponderExcluir